17ago

Mateus Isaac, atleta PWA, promove campanha para o IQFoil olímpico 2024

Edição e entrevista: Heitor Marques / Pauta e revisão: Bimba

Mateus Isaac velejando de foil

A cada dia podemos ver mais e mais velejadores “voando” de foil pelo Brasil, e ainda mais agora com a oficialização da classe IQFoil olímpica para 2024. Mateus Isaac, atleta de ponta do PWA e que está entre os top 10 do foil mundial, cravou o início de sua jornada pró olímpica agora em agosto, começando pelos campeonatos europeus.

Após 5 participações olímpicas do Bimba, de 2000 a 2016, pela primeira vez na história não haverá representante olímpico brasileiro masculino em 2020/21. Mateus chega para a campanha de 2024 como o melhor representante após essa mudança de geração.

Obtendo os resultados pretendidos na tour europeia, poderá voltar ao Brasil como número um da equipe de vela olímpica e obter o apoio necessário para seguir como candidato para os jogos de 2024. Conversamos com Mateus diretamente de Portugal, confira abaixo a entrevista.


HM: Oi Mateus! Primeiro fala um pouco de sua história no windsurf, como começou a velejar, quem te incentivou…?

MI: Comecei a velejar aos 7 anos em Ilhabela, com meu pai. Depois parei e só queria saber de futebol até os 10 anos. Nessa época mudamos para Florianópolis e voltei a velejar lá e daí não parei mais. Tenho até uma vela 3.0 comprada do Kauli Seadi dessa época e guardada até hoje.

HM: Quais os últimos títulos mais significativos que obteve?

MI: Já fui 2x campeão mundial júnior de Formula e de Slalom, 4x campeão sul americano e 4x campeão brasileiro de slalom. Minha maior conquista foi ganhar uma etapa de foil do PWA em 2018 na Coreia. Terminei 4º no slalom neste ano e no top 10 mundial do foil.

HM: Como andam os preparativos para a inauguração do IQFoil em 2024?

MI: Estou com a meta de competir no IQFoil olímpico em 2024. O material ainda não chegou no Brasil, mas no momento sigo correndo pelos campeonatos da Europa e vou ter meus primeiros contatos com o equipamento nas vésperas de cada circuito. Estou ansioso para saber como o material vai se comportar e como poderei tirar o máximo dele.

HM: Como são seus treinos e quem tem te preparado?

MI: Eu me ocupo em passar o maior tempo possível na água, seja de foil, slalom, wing, surfando… assim eu consigo manter uma preparação geral. Minha treinadora fora é a Sarah Houser, havaiana, e no Brasil treino com a Silvinha (Silvia Yoko Omori Del Debbio), de Ilhabela. Meus treinos incluem muita academia também, procuro ganhar massa porque isso dá bastante vantagem no PWA. No momento não tenho treinador de windsurf, acabei cuidando dessa parte técnica meio que sozinho ao longo dos anos. Mas meu pai também me ajuda muito nessa parte.

HM: Quais são suas fontes de patrocínio e sustento?

MI:  Sou patrocinado pela NeilPryde e pela JP que me dão a maior parte do sustento e equipamentos por ano. Também recebo muito apoio do Hotel Feel Viana, que é minha segunda casa na Europa, e da Sports Lab na parte de fisioterapia.

HM: Quais eventos estão na lista deste ano?

MI:  Semana passada ganhei o campeonato nacional português, agora estou indo para o mundial de Formula Foil e em seguida o Europeu de IQFoil em Silvaplana, Suécia. Se acontecer, em outubro irei também para o PWA na França, depois da Copa Brasil de Vela (que agora parece que será em dezembro) e do mundial de IQFoil em Garda, Itália. Por fim devo terminar a temporada com o brasileiro de foil em Fortaleza e o de Slalom na Lagoa do Portinho/PI.

HM: Quais seus objetivos para os pŕoximos anos e eventos?

MI: Meu objetivo é sempre dar o meu melhor nas competições. Tenho evoluído a cada ano e juntando bons resultados. Então estou mantendo esse foco acreditando que outros virão, mas sem muita pressão para manter a mente equilibrada.

Acompanhe o dia a dia dos campeonatos do Mateus em instagram.com/mateusisaac

Heitor Marques

ABOUT THE AUTHOR

Heitor Marques
Sou o BRA 450, contaminado pelo vírus da planada. Moro em Aracaju, pesquiso sobre windsurf e colaboro com a ABWS.